imagem representando segurança de informação

Líderes de TI planejam usar essas ferramentas essenciais para oferecer resultados de negócios em 2017

Fonte: cio.com.br

Com a transformação digital dominando a agenda de negócios, os profissionais de TI estão sob pressão para criar uma fundação tecnológica moderna que seja robusta o suficiente para conduzir a mudança. Quais são os objetivos que buscam este ano? Onde devem alocar recursos?

De acordo com a pesquisa Forecast 2017, da Computerworld americana, os profissionais de TI priorizarão segurança, Analytics, XaaS ou tecnologia de “como serviço”, virtualização e aplicativos móveis. Se você está pensando em adicionar esses itens à sua lista de afazeres de 2017, leia as conclusões da pesquisa:

1. Segurança

Violações de dados corporativos de alto perfil, ciberataques politicamente carregados como aqueles contra o Comitê Nacional Democrata (DNC) e o ataque DDoS de outubro que derrubou diversos serviços internet mantiveram-se à frente das preocupações de segurança este ano, levando muitos em TI a repensar e expandir estratégias, adicionando camadas às suas linhas de defesa.

Segundo a pesquisa Forecast 2017, 47% dos 196 profissionais de TI informaram que planejam aumentar os gastos com tecnologia de segurança em 2017 e 14% escolheram a segurança como o projeto tecnológico mais importante atualmente em andamento em suas organizações. O cenário no Brasil, de acordo com pesquisa IT Leaders 2016, não é muito diferente. Segurança, apontada por 44% dos 239 CIOs, só fica atrás da implementação e atualização das soluções de mobilidade (53%) entre as cinco prioridades para 2017.

Além disso, 15% dos entrevistados 196 entrevistados pela CIO nos EUA disseram esperar que a segurança seja seu principal desafio de liderança nos próximos 12 meses, e outros 15% disseram que atualmente estão testando versões betas de soluções para segurança corporativa. Mesmo aqueles que não perseguem iniciativas de segurança específicas têm segurança em suas mentes: 19% dos entrevistados disseram que seu principal objetivo para seu projeto mais importante é “cumprir as metas de segurança, privacidade ou conformidade.”

Contratar mais pessoas para enfrentar os desafios de segurança é outra tática comum. Dos participantes da pesquisa Forecast 2017 que esperam adicionar novos funcionários este ano, 30% disseram que a razão é para reforçar as iniciativas de segurança, com 26% deles dizem estar antecipando novas contratações nas áreas de segurança, conformidade e governança.

Mas muitos já estão tendo dificuldade em encontrar talentos qualificados: um quarto dos entrevistados com planos de contratação classificaram a segurança como a habilidade mais difícil de contratar.

2. Analytics

Como as empresas ampliando significativamente seus esforços para se aproximar dos clientes, os dados assumiram uma importância crítica, com Analytics funcionando como um trampolim para o sucesso.

As organizações estão acumulando dados sobre o tráfego da Web, as preferências dos clientes, o comportamento de compra, o desempenho do produto nos mercados on e off e muito mais, criando uma potencial mina de insights – se adotarem a estratégia correta e usarem as ferramentas corretas de análise para entenderem tudo o que coletam.

Cerca de 38% dos entrevistados a pesquisa Forecast 2017 disseram que planejam aumentar os gastos com análises de dados (uma categoria que inclui Big Data, mineração de dados e ferramentas de Business Intelligence) no próximo ano, e Analytics foi 4º colocado na lista de projetos de tecnologia citados como iniciativas mais importantes para suas organizações.

Além disso, 21% dos entrevistados disseram que suas organizações estão envolvidas em um teste beta de um grande projeto de dados, e quase 30% classificaram Big Data/Analytics como a tecnologia disruptiva mais provável de impactar sua organização nos próximos três a cinco anos.

Mais uma vez, o cenário no Brasil é semelhante. Entre os 239 respondentes da pesquisa IT Leaders 2016, 68% entendem que a melhoria e a aceleração de processos decisórios são os principais argumentos para a adoção de Big Data e Analytics. Do ponto de vista da importância, 19% dos CIOs brasileiros consideram Big Data tecnologia essencial e de missão crítica para a companhia e 60% a consideram muito importante para a empresa. Big Data e Analytics estão diretamente relacionados ao menos a duas prioridades de negócio das respectivas empresas: oferecer melhor atendimento aos clientes (38%) e aumentar o portfólio de produtos e serviços (34%).

3. XaaS

Mais um ano e não há como parar a migração para a computação em nuvem, especialmente quando as empresas reorganizam a infraestrutura de TI para transformação digital.

A tendência “como serviço” continua a ganhar força, com 33% dos entrevistados da pesquisa Forecast 2017 relatando que suas organizações estão planejando aumentar os gastos em software-como-serviço (SaaS) este ano. Ao mesmo tempo, 24% dos entrevistados disseram que pretendem gastar mais em tecnologias de plataforma como serviço (PaaS) e 27% disseram que vão colocar mais dinheiro em infraestrutura como serviço (IaaS). E finalmente, 29% dos entrevistados esperam que os sistemas de nuvem ou SaaS sejam a tecnologia disruptiva com maior impacto em seus negócios nos próximos três a cinco anos.

Como o interesse pelo modelo cresce, 13% dos entrevistados estão testando ofertas beta de SaaS, enquanto 12% estão testando PaaS e 8% estão pilotando IaaS. Com toda essa atividade de nuvem em andamento, os líderes de TI estão olhando para a expansão do conjunto de habilidades de suas equipes: 26% dos entrevistados que planejam aumentar suas equipes nos próximos 12 meses disseram que pretendem contratar pessoas com habilidades em nuvem e SaaS.

No Brasil, 80% dos 239 CIOs que participaram da pesquisa IT Leaders em 2016, afirmaram que investirão em serviços de Cloud Computing nos próximos 12 meses.

Um terço deles (31%) já tem pelo menos uma aplicação rodando em nuvem pública, sendo que 28% espera chegar a 50% das suas aplicações rodando em cloud pública nos próximos dois anos. Praticamente a metade (49%) dos CIOs dizem possuir aplicações em nuvem privada e 29% já trabalham com aplicações distribuídas em ambientes híbridos completos, combinando aplicações on-premise, de cloud pública e de cloud privada. Para 40% de todos os entrevistados, a expectativa em melhorar a velocidade de resposta às demandas do negócio é a principal razão estratégica para adotar Cloud Computing.

4. Aplicativos móveis

Como os smartphones e tablets se tornam equipamentos de uso diário por consumidores e funcionários, os grupos de TI estão voltando à prancheta para redesenhar aplicativos existentes para acesso a partir de dispositivos móveis, ao mesmo tempo em que criam novos aplicativos móveis em busca de vantagem competitiva.

Na pesquisa Forecast 2017, 35% dos entrevistados disseram que planejam aumentar os gastos com sistemas móveis no próximo ano. Quase 10% disseram que estão testando aplicativos para dispositivos móveis, enquanto 21% daqueles com planos de contratação disseram que esperam adicionar pessoas com habilidades de gerenciamento de dispositivo e dispositivos móveis.

No Brasil, como já mencionado anteriormente, a implementação e atualização das soluções de mobilidade aparece no topo das prioridades dos CIos para 2017, apontada como tal por metade deles (53%). E 93% deles investirão, com diferentes graus de intensidade, na criação de aplicativos móveis nos próximos 12 meses.

5. Virtualização

A marcha em direção a ambientes de TI totalmente virtualizados segue firme e forte. Atualmente, as empresas estão virtualizando mais do que apenas sistemas de desktop e estão começando a expandir seus esforços para áreas como servidores, redes, armazenamento e até mesmo infraestrutura móvel.

Algumas formas de virtualização estarão no topo da lista de prioridade em 2017 para 29% dos entrevistados, e daqueles que planejam aumentar a contratação no próximo ano, 18% disseram que estarão procurando pessoas com experiência em virtualização.

Os sistemas desktop ainda são os alvos mais comuns das iniciativas de virtualização – 16% dos entrevistados da pesquisa Forecast 2017 disseram que estão realizando testes com novas soluções de virtualização de desktops. O armazenamento é a segunda tecnologia mais comum a ser virtualizada, com 11% dos entrevistados dizendo que estão pilotando soluções, seguido pela virtualização de servidores (em teste por 10% dos consultados), virtualização móvel (8%) e Virtualização de rede (7%).

O ano do cliente

A adoção e aplicação dessas cinco tecnologias é feita com resultados específicos de negócios em mente. Um dos mais importantes é a satisfação do cliente. Quase metade (48%) dos entrevistados do estudo Forecast 2017 disse que a melhoria da satisfação do cliente ou a experiência do cliente é a prioridade comercial mais importante para a TI nos próximos 12 meses.

Não por acaso, investimentos em Big Data, Analytics e User Experience aparecem como primordiais também para os CIOs brasileiros participantes do prêmio IT Leaders 2016.